Philippe Desmazes/AFP
Philippe Desmazes/AFP

Kadafi morre de ferimentos na captura, diz governo provisório

CNT disse que ditador foi ferido nas pernas e na cabeça; Otan e EUA não confirmam morte

REUTERS

20 de outubro de 2011 | 10h14

Atualizado às 11h05

 

SIRTE, LÍBIA - O ex-líder líbio Muamar Kadafi morreu devido a ferimentos sofridos durante sua captura perto de Sirte, sua cidade-natal, nesta quinta-feira, 20, disse uma autoridade militar do governo provisório.

 

Veja também:
especialESPECIAL: 
Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

Abdel Majid Mlegta, do Conselho Nacional de Transição (CNT), disse à Reuters que Kadafi foi capturado e ferido nas duas pernas nesta quinta-feira, quando tentava fugir em um comboio atacado por caças da Otan. "Ele também foi atingido na cabeça", disse a autoridade. "Houve muitos disparos contra seu grupo e ele morreu". Não havia confirmação independente sobre suas declarações.

 

'Dia histórico'

 

Em Bruxelas, a Otan informou que ainda estava checando os relatos de captura de Kadafi na Líbia. "Estamos averiguando e avaliando a situação", disse uma autoridade da Otan. "Claramente esses são desdobramentos muito significativos, que levaremos tempo para confirmar. Se for verdade, este é verdadeiramente um dia histórico para o povo da Líbia."

Um porta-voz do governo norte-americano disse em Washington que ainda não haviam confirmado a captura de Kadafi.

Um comandante das forças do CNT declarou que Moussa Ibrahim, ex-porta-voz do governo de Kadafi, foi capturado perto de Sirte também nesta quinta-feira. Abdul Hakim Al Jalil, comandante da 11a brigada, afirmou ainda ter visto o corpo do chefe das forças armadas de Kadafi, Abu Bakr Younus Jabr. "Eu o vi com meus próprios olhos", declarou Jalil.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGADDAFIMORTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.