Karzai pedirá à ONU retirada de cerca de 50 ex-taleban de lista terrorista

Entre 30 e 50 pessoas da lista negra da ONU não pertenceriam a Al-Qaeda, segundo funcionário afegão

Efe

12 de julho de 2010 | 10h51

CABUL - O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, planeja pedir à ONU que retire de sua lista de terroristas cerca de 50 ex-taleban para avançar na reconciliação do país, informou hoje "The Washington Post".

 

O pedido de retirar cerca da quarta parte dos 137 indivíduos que integram essa "lista negra" da ONU por seus vínculos com os taleban pretende ser um gesto nas negociações com a insurgência, afirma em seu site o jornal, que cita um alto oficial afegão.

 

A fonte assegura que a solicitação de Karzai se refere a entre 30 e 50 pessoas "que não fazem parte de Al-Qaeda e não são terroristas".

 

O enviado especial dos EUA ao Afeganistão e Paquistão, Richard Hoolbroke, se reuniu na terça-feira passada com funcionários da ONU para pressioná-los para avançar no processo de retirar nomes da lista, assegura "The Washington Post", que cita fontes próximas às conversas em Nova York.

 

Holbrooke espera conseguir um acordo nesse sentido antes da conferência internacional que será realizada este mês em Cabul e que tem como objetivo alcançar a estabilidade no Afeganistão, acrescenta o jornal.

 

Entre os nomes que podem deixar a lista figura o do ex-ministro da Educação dos talibãs Mullah Arsala Rahmani.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.