Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
S Sabawoon/Efe
S Sabawoon/Efe

Karzai planeja conferência de paz sobre futuro afegão em abril

Presidente afegão apresentará planos de incentivos econômicos a talebans que queiram mudar de lado

AE-AP, Agencia Estado

08 de março de 2010 | 15h51

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, disse nesta segunda-feira, 8, que um plano de ação para reintegrar à sociedade insurgentes de baixa e média patentes e para negociar com o alto escalão do Taleban será discutido no mês que vem, durante uma conferência de paz com o objetivo de encerrar a guerra.

 

Veja também:

Gates adverte sobre 'duros confrontos' no Afeganistão

 

Karzai já estendeu a oferta do governo a membros do Taleban que renunciarem a seus laços com a Al-Qaeda e outras redes terroristas e concordarem em adotar a constituição afegã.

O presidente está finalizando um plano para oferecer empregos, treinamento e outros incentivos econômicos a dezenas de milhares de soldados do Taleban que queiram mudar de lado.

 

No entanto, levar importantes líderes do Taleban para a mesa de negociações deve ser difícil. Dentre outras exigências, os principais líderes do grupo dizem que as tropas estrangeiras devem deixar o Afeganistão antes de as conversações serem iniciadas.

O ministro de Educação afegão, Farooq Wardak, que está trabalhando para organizar os três dias de reunião na capital afegã, disse aos integrantes do Parlamento que 1.400 pessoas vão participar da "jirga da paz", que vai começar no dia 29 de abril.

 

Jirga é o termo afegão que designa uma reunião de anciãos que representam seus povos.

"Na jirga da paz que será realizada daqui a cerca de um mês e meio, teremos a participação do povo do Afeganistão de todos os estilos de vida, de todo o país", disse Karzai durante uma coletiva de imprensa no palácio presidencial ao lado do secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates.

 

"O objetivo será conseguir diretrizes do povo afegão sobre como ir adiante na direção da reintegração e reconciliação - onde a reconciliação for possível - e elaborar um plano de ação a partir de consultas com o povo afegão", disse ele.

Gates disse que ele e Karzai "concordam" sobre o assunto. Ele disse que o governo já começou a ver alguns combatentes taleban deixarem a insurgência. Oficiais da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) confirmaram que pequenos grupos de combatentes baixaram suas armas durante a ofensiva militar contra a cidade de Marjah, ainda em curso.

 

"Acreditamos que milhares desses combatentes do Taleban fizeram isso por necessidades econômicas ou porque suas famílias foram intimidadas", disse Gates. "É importante criar condições para eles voltarem à sociedade afegã e se reintegrarem ao sistema policial."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.