Kremlin diz que Putin e Obama buscam 'novas iniciativas' sobre a Síria

Os presidentes Vladimir Putin e Barack Obama pediram a seus ministros de Relações Exteriores que se mantenham em contato e busquem "novas iniciativas" para encerrar a guerra civil na Síria, disse o Kremlin após uma conversa telefônica entre os líderes da Rússia e dos EUA.

ALISSA DE CARBONNEL, Reuters

01 de março de 2013 | 18h20

De acordo com esse relato, eles também prometeram evitar medidas que prejudiquem as relações bilaterais, que vêm sido afetadas por divergências a respeito da Síria e de outras questões, como o tratamento dado por Putin a seus críticos desde o início do seu atual mandato presidencial, em maio.

O telefonema aconteceu três dias depois de o chanceler russo, Sergei Lavrov, e o novo secretário de Estado dos EUA, John Kerry, discutirem a crise síria durante uma reunião em Berlim, sem apoio.

"Os presidentes instruíram (Lavrov e Kerry) a continuarem contatos ativos focados em desenvolver possíveis novas iniciativas voltadas a uma solução política da crise", disse o Kremlin em nota.

Os EUA defendem que o presidente sírio, Bashar al Assad, deveria deixar o poder como parte de uma solução para a guerra civil síria, que já dura quase dois anos. A Rússia, principal aliada de Assad no mundo, usa seu poder de veto na ONU para barrar qualquer iniciativa que possa prejudicá-lo.

Também na sexta-feira, a chancelaria russa disse que as decisões tomadas em uma reunião de "Amigos da Síria" em Roma, após a qual Kerry prometeu mais ajuda não-letal dos EUA a rebeldes sírios, estimulariam os inimigos de Assad.

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIARUSSIAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.