Kuwait anuncia prisão de membros de grupo ligado à Al-Qaeda

Supostos membros da organização terroristas planejavam ataques contra base americana e órgãos de segurança

Agência Estado e Associated Press,

11 de agosto de 2009 | 11h59

Autoridades do Kuwait informou nesta terça-feira, 11, que prenderam um grupo ligado à Al-Qaeda que supostamente planejava atacar uma base militar norte-americana no país. O Ministério do Interior anunciou a prisão de uma "rede terrorista" de seis kuwaitianos, que deram "confissões detalhadas" sobre seus planos de atentado.

 

Segundo o breve comunicado da pasta, o grupo pretendia atacar o Campo Arifjan, principal base dos Estados Unidos no país, além de sedes da agência de segurança local, entre outras instalações não nomeadas. Não havia mais detalhes no texto, mas segundo o jornal Alrai, que citou fontes anônimas do setor de segurança, o grupo confessou a compra de um caminhão. A intenção era abastecer o veículo com fertilizantes, produtos químicos e cilindros de gás e lançá-lo contra o campo.

 

Um ataque contra a grande instalação norte-americana no deserto ao sul de Cidade do Kuwait, entretanto, teria poucas chances de sucesso, dada a forte segurança na área.

 

O Kuwait é um aliado próximo dos EUA desde a Guerra do Golfo, liderada por Washington em 1991, que liberou o país de uma ocupação de sete meses do ditador iraquiano Saddam Hussein. Militantes no país, porém, opõem-se à presença dos EUA e já atacaram tropas e civis norte-americanos anteriormente.

 

Em outubro de 2002, dois extremistas kuwaitianos abriram fogo contra oficiais do Exército dos EUA que treinavam na ilha Failaka, matando um deles e ferindo outro. Em janeiro de 2003, um fundamentalista matou um americano e feriu outro, em uma emboscada perto de um campo do Exército dos EUA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.