Legendas conservadoras vencem eleição parlamentar no Irã

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, que não mantém mais boas relações com o líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei, sofreu novo revés no segundo turno da eleição parlamentar de sexta-feira, vista como um bom indicador de tendências para a eleição presidencial de 2013, de acordo com os resultados divulgados neste sábado.

REUTERS

05 Maio 2012 | 11h15

As autoridades consideraram o processo um triunfo estrondoso para o Irã num momento em que o país se prepara para negociações com países ocidentais sobre a questão nuclear.

Os resultados apresentados pelo Ministério do Interior mostraram a liderança da Frente Principalista Unida, legenda com estreitos vínculos com Khamenei e crítica a Ahmadinejad, seguida de perto pela Frente de Resistência da Revolução Islâmica, facção de linha-dura.

É difícil compreender a quem a Frente de Resistência está ligada. Essa legenda também apoia Khamenei, mas alguns de seus membros serviram no governo de Ahmadinejad. Parte deles ainda apoia o presidente e parte não aprova seu secretário de Gabinete, acusado de tentar minar o sistema teocrático do Irã.

No segundo turno estavam sendo disputadas 65 das 290 cadeiras do Parlamento, incluindo 25 da capital, Teerã, onde resultados iniciais apontavam uma divisão entre as duas principais correntes conservadoras. A confirmação do resultado final está prevista para o final deste sábado.

Como ocorreu no primeiro turno, os partidos diretamente alinhados com Ahmadinejad não se saíram bem, mas os independentes tiveram uma boa votação e alguns dos mais de 70 deputados já eleitos poderão ajudar o presidente no seu último ano de mandato, que será difícil.

(Por Marcus George)

Mais conteúdo sobre:
IRA ELEICAO PARLAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.