Legisladores iranianos propõem projeto para enriquecer urânio até 60%

Legisladores iranianos linha-dura apresentaram projeto de lei para elevar o enriquecimento de urânio dentro de seu programa nuclear para um nível que poderia produzir material para bombas, disse um site estatal nesta quarta-feira.

Reuters

25 de dezembro de 2013 | 16h20

O projeto de lei poderia levar o Teerã a um conflito direto com as grandes potências que alcançaram um acordo provisório com o Irã em Genebra no mês passado, exigindo que Teerã suspendesse seu programa de enriquecimento de urânio a um grau mais elevado.

A autoridade mais poderosa do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, até agora, apoiou a iniciativa de Genebra.

A frente linha-dura, irritada com a mudança de política externa desde que o presidente moderado Hasan Rouhani foi eleito em junho, se opõe ao acordo de Genebra.

O projeto de lei apresentado na quarta-feira, "se aprovado, vai obrigar o governo a ... enriquecer urânio ao nível de 60 por cento, a fim de fornecer combustível para motores de submarinos se as sanções forem reforçadas e os direitos nucleares do Irã forem ignorados (pelas grandes potências)", disse o parlamentar radical Mehdi Mousavinejad, segundo o site Press TV, em inglês.

Não ficou imediatamente claro se ou quando o parlamento pode discutir o projeto de lei, mas a agência de notícias oficial IRNA disse que ele foi apoiado por cerca de 100 parlamentares e tinha sido declarado com um status de "dupla urgência", o que significa que poderia ser discutido no parlamento dentro de uma semana.

(Reportagem Parisa Hafezi)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAENRIQUECERURANIO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.