Libanês aliado do presidente sírio será indiciado

Um ex-ministro do governo libanês com estreitos laços com o presidente da Síria, Bashar al-Assad vai ser indiciado por envolvimento em "tramas terroristas", disseram fontes de segurança no sábado.

Reuters

11 de agosto de 2012 | 14h07

As fontes disseram que o juiz Sami Sader, o comissário-adjunto do Tribunal Militar libanês, vai indiciar Michel Samaha por acusações que incluem o transporte de explosivos da Síria para uso no norte do Líbano.

Os defensores de Samaha disseram que sua detenção era política após a polícia prendê-lo na sua casa, na quinta-feira.

Samaha tem sido um defensor ferrenho do Assad na revolta síria que já dura 17 meses, reforçando o argumento oficial sírio que retrata os opositores de Assad como terroristas.

Samaha foi ministro em três governos no Líbano entre 1992 e 2004.

Em 2007, ele foi incluído numa lista da Casa Branca de libaneses e sírios suspeitos de trabalhar para minar a estabilidade do Líbano e do governo daquela época apoiado pelo Ocidente.

(Por Oliver Holme)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBANOSIRIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.