Líbia diz que Grã-Bretanha usa mercenários contra distúrbios

A TV estatal líbia disse na quinta-feira que o governo britânico tem usado "mercenários irlandeses e escoceses" para enfrentar os distúrbios na Inglaterra.

REUTERS

11 de agosto de 2011 | 09h03

"Os rebeldes britânicos se aproximam de Liverpool em batalhas intermitentes com as brigadas do (primeiro-ministro David) Cameron e com os mercenários da Irlanda e Escócia. Deus é maior", disse uma legenda noticiosa colocada na programação matinal do canal.

Aviões e navios da Grã-Bretanha fazem parte da operação militar da Otan contra o regime líbio, que há cinco meses enfrenta uma rebelião armada. O dirigente Muammar Gaddafi é acusado de contratar mercenários, principalmente de outros países africanos, para enfrentar os rebeldes.

Nesta semana, Cameron mobilizou reforços policiais para acalmar Londres e outras cidades inglesas, após quatro dias de saques, incêndios e distúrbios causados por jovens mascarados.

A irônica referência aos "mercenários" foi transmitida em um programa que geralmente louva o regime de Gaddafi. O apresentador disse que os distúrbios na Grã-Bretanha "não são protestos fomentados por serviços estrangeiros de inteligência" - como a Líbia costuma dizer que é o caso na sua própria guerra civil.

Na quarta-feira, o governo líbio usou contra Cameron a mesma retórica que o Ocidente habitualmente emprega contra Gaddafi, ao dizer que ele "perdeu sua legitimidade e deve sair".

(Reportagem de Souhail Karam)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGRABRETANHAMERCENARIOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.