Líbia diz que não vai atacar Benghazi sob cessar-fogo

A presença das forças do governo líbio ao redor de Benghazi não viola as regras do cessar-fogo, e o Exército não tem planos de atacar o reduto rebelde no leste do país, afirmou uma autoridade do Ministério do Exterior na sexta-feira.

REUTERS

18 de março de 2011 | 18h29

"Quanto à presença do Exército nas cidades líbias, consideramos isso importante para a segurança dos cidadãos. Não viola o cessar-fogo", afirmou a repórteres o vice-chanceler, Khaled Kaim.

"O cessar-fogo significa nenhuma operação militar, pequena ou grande. O outro ponto é que as forças armadas estão agora fora de Benghazi e não têm intenção de entrar na cidade."

Kaim afirmou que desde o anúncio do cessar-fogo, na manhã de sexta-feira, as forças do governo não realizaram nenhuma ação militar.

"Não tivemos bombardeios de quaisquer tipos desde que o cessar-fogo foi declarado", afirmou ele quando questionado sobre notícias de operações das tropas leais ao líder líbio, Muammar Gaddafi, em Misrata e outras partes do país.

(Reportagem de Maria Golovnina e Michael Georgy)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIABENGHAZIATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.