Líbia diz que quase 100 civis morreram em ataques aéreos

A Líbia informou na quinta-feira que o número de civis mortos após cinco dias de ataques aéreos da coalizão chegou perto de 100, e acusou os governos do Ocidente de lutarem ao lado dos rebeldes.

REUTERS

24 de março de 2011 | 15h51

Mussa Ibrahim, um porta-voz do governo, também disse que o governo líbio acredita que forças ocidentais estão planejando atacar a infraestrutura de transmissão do país, possivelmente ainda na quinta-feira.

"O que está acontecendo agora é que os governos ocidentais estão lutando ao lado dos rebeldes. Isso não é permitido pela resolução das Nações Unidas", afirmou ele a repórteres.

Ibrahim disse que o número de mortos de civis estava "chegando perto de 100". Autoridades militares do Ocidente negam que tenha havido qualquer morte de civil em sua campanha para impor uma zona de exclusão área na Líbia para proteger civis das forças do governo.

"Temos um cessar-fogo em voga. Estamos apenas respondendo aos ataques aéreos, que é nosso direito, e os rebeldes no leste estão atacando nosso Exército com a cobertura dos ataques aéreos", declarou Ibrahim.

(Texto de Maria Golovnina)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAQUASECEMMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.