Líbios formam escudo humano em fortaleza de Gaddafi

Milhares de líbios se juntaram no complexo fortificado de Muammar Gaddafi em Trípoli neste sábado para formar um escudo humano contra possíveis ataques aéreos de forças ocidentais.

MICHAEL GEORGY, REUTERS

19 de março de 2011 | 18h11

Fogos de artifício irromperam no céu noturno e pessoas dispararam tiros para o alto em desafio depois que aviões aliados entraram em ação no leste da Líbia para deter o ataque das forças do líder líbio contra a cidade rebelde de Benghazi.

Líbios de todas as profissões acorreram ao complexo de Bab Al-Aziziyah, gritando slogans e segurando retratos de Gaddafi. Alto-falantes entoavam canções em louvor ao líder.

"Minha mãe e meu pai me disseram que eles (os aviões ocidentais) atacariam o complexo, então vim aqui para proteger nosso líder", disse Mahmoud, um menino de 10 anos.

Cerca de mil quilômetros ao leste, caças franceses destruíam tanques e blindados para deter o avanço de Gaddafi sobre forças rebeldes no entorno de Benghazi.

O grande complexo de Trípoli, que inclui acomodações militares, foi o alvo de um bombardeio dos EUA à Líbia em 1986. O então presidente Ronald Reagan disse ser uma retaliação pelo que chamou de cumplicidade líbia no atentado a bomba a um clube noturno em Berlim.

O governo levou repórteres estrangeiros em uma rara visita ao local normalmente fechado para mostrar o apoio da população a Gaddafi.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIACOMPLEXOGADDAFI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.