Líder da Al Qaeda classifica reunião de Annapolis como traição

Em uma nova gravação de áudio, o segundona linha de comando da rede Al Qaeda, Ayman al-Zawahri, acusoulíderes árabes de trair os palestinos ao terem participado daconferência de paz para o Oriente Médio em Annapolis (EUA), nomês passado. "Os Estados e governos árabes estavam presentes comofalsas testemunhas no mais recente dos traiçoeiros acordos paravender a Palestina", disse Zawahri na gravação postada em sitesislâmicos nesta sexta-feira. "Irmãos muçulmanos na Palestina, unam-se sob a bandeira doislã e no caminho da jihad de Deus e rejeitem estasorganizações seculares que os venderam em Madri e Oslo, em CampDavid e Wye River, em Sharmal-Sheikh e Annapolis", acrescentou,referindo-se às séries de conferências de paz envolvendo oOriente Médio. O presidente norte-americano, George W. Bush, promoveu emAnnapolis um encontro para retomar o processo de pazisraelo-palestino, paralisado durante a sua Presidência. A maioria dos países árabes compareceu à cúpula, dando aoesforço de paz maior legitimidade. A decisão da Arábia Sauditade participar com uma representação de alto escalão foiespecialmente significativa, por se tratar de um país líder nomundo árabe que não tem nenhuma relação com o Estado judaico. Zawahri condenou o papel da Arábia Saudita e do Egito,dizendo que eles estão servindo aos interesses de Israel e dosEUA. De acordo com Zawahri, os muçulmanos não vão parar de lutarpelo controle dos territórios muçulmanos da Ásia Central aoNorte da África, mesmo "se eles realizarem mil conferências emOslo ou Annapolis e mil conferências em Londres". (Reportagem Lin Noueihed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.