Líder de grupo ligado à Al Qaeda pede mais ataques no Iraque

O líder do Estado Islâmico no Iraque,grupo ligado à rede Al Qaeda, ordenou seus seguidores nestaterça-feira que retomem uma campanha de ataques contra asforças de segurança do país. "Esta campanha deve ser baseada em explosivos e seu alvodevem ser os apóstatas...usando uniformes e todos aqueles quelutam ao lado dos ocupantes", disse Abu Omar al-Baghdadi emdeclaração de áudio postada em um site islâmico. "Todo soldado (militante) deve ter detonado ao menos trêsbombas até o final da campanha", acrescentou. Segundo ele, a campanha iria até uma data islâmica quecorresponde aos últimos dias de janeiro. O número de mortes de militares norte-americanos e civis noIraque caiu fortemente nos últimos dois meses, parcialmentedevido ao contingente adicional de 30 mil soldados dos EUAmobilizados para combater militantes da Al Qaeda e milíciasxiitas. De acordo com os militares, os ataques diminuíram 55por cento desde o aumento das tropas. (Reportagem de Inal Ersan)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.