Líder do Afeganistão toma posse e busca limpar reputação

Dignitários estrangeiros devem começar a chegar a Cabul na quarta-feira, véspera da posse do presidente afegão, Hamid Karzai, que tenta restabelecer sua reputação no Ocidente após uma eleição marcada por denúncias de fraude.

PETER GRAFF, REUTERS

18 Novembro 2009 | 07h16

Segundo o Ministério do Exterior do Afeganistão, cerca de 300 dignitários internacionais participarão da cerimônia de juramento, marcada para a quinta-feira, no palácio presidencial em Cabul, incluindo 30 presidentes, vice-presidentes, primeiros-ministros e chanceleres.

O presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, o secretário britânico do Exterior, David Miliband, e o ministro do Exterior francês, Bernard Kouchner, confirmaram presença na posse de Karzai.

Outros países, como os Estados Unidos, não anunciaram quem será seu representante por questões de segurança.

O governo do presidente norte-americano, Barack Obama, está próximo de tomar uma decisão sobre o envio de dezenas de milhares de soldados ao Afeganistão. A decisão pode ser anunciada logo após a posse, que levará o tumultuado processo eleitoral de três meses a um final.

A insurgência do Taliban tem ganhado força no país, e a segurança para a cerimônia em Cabul será extrema, com a presença dos jornalistas na posse de Karzai vetada.

O momento central da cerimônia deve ser o discurso de posse de Karzai, o qual autoridades ocidentais esperam que traga detalhes específicos de um programa de combate à corrupção.

"Gostaríamos de ver algum tipo de mapa, Queremos ver uma direção clara dada aqui", disse um diplomata europeu.

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTAO LIDER POSSE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.