Líder do Hamas aceita diálogo com Fatah proposto por Mubarak

Meshaal diz que sua organização 'sempre apoiou o dialogo, pois só assim resolverão as diferenças com o Fatah'

Efe,

26 de janeiro de 2008 | 12h14

O líder exilado do movimento palestino Hamas, Khaled Meshaal, aceitou na noite de sexta-feira, 25, o convite do presidente egípcio, Hosni Mubarak, para dialogar com a facção palestina rival Fatah.   "O Hamas aceita este convite generoso. Estamos dispostos a começar um diálogo incondicional com Fatah", respondeu o principal responsável do movimento islamita, em entrevista divulgada neste sábado, 26, pela rede de televisão por satélite catariana Al Jazira.   Meshaal disse que sua organização "sempre apoiou o dialogo, pois é a única solução para resolver as diferenças com o Fatah".   O anúncio de Meshaal ocorre um dia depois de o presidente egípcio propor a realização imediata de uma reunião em seu país entre as facções palestinas rivais do Hamas, que controlam a Faixa de Gaza, e o movimento Fatah, que governa na Cisjordânia.   Mubarak lançou sua iniciativa em entrevista ao jornal independente Al Usbu, publicada neste sábado, mas que na sexta-feira foi antecipada em partes pela agência oficial de notícias egípcia Mena.   "Estamos prontos para acolher de forma imediata uma conferência no Cairo entre Hamas e Fatah para que haja uma reconciliação entre irmãos", expressou Mubarak.   O presidente rejeitou as críticas americanas e israelenses à sua decisão de permitir a entrada de milhares de palestinos da Faixa de Gaza ao Egito através da passagem de Rafah.   "O Egito como Estado árabe pioneiro, não pode abandonar suas responsabilidades pan-árabes e rejeita o castigo coletivo a todo o povo palestino", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoFatahHamasFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.