Líder do Hamas diz estar disposto a diminuir tensão com Israel

Ataques com foguetes de palestinos e bombardeios do Exército israelense marcaram última semana

AP,

24 de dezembro de 2010 | 22h09

CIDADE DE GAZA- Governantes do Hamas afirmaram nesta sexta-feira, 24, que desejam neutralizar a tensão com Israel após uma semana de conflitos na fronteira com Gaza e reiteraram sua intenção de que haja um cessar-fogo.

 

Veja também:

linkWikiLeaks: Documento confirma que Israel destruiu reator da Síria em 2007

 

Israel e o movimento islâmico Hamas, que controla a Faixa de Gaza, travaram uma guerra de três semanas há dois anos e, desde então, há uma grande incidência de bombardeios e lançamentos de foguetes na região.

 

Em frente a uma multidão de simpatizantes após as orações de sexta-feira, o líder do movimento, Mahmoud Al-Zahar, afirmou que o Hamas se comprometeria com um cessar-fogo se Israel também assumisse esse compromisso.

 

Zahar disse que o Hamas e outras facções estão comprometidas com um acordo que firmaram no ano passado para cessar os lançamentos de foguetes em Israel, apesar de grupos pequenos continuarem fazendo ataques.

 

Na manhã de hoje, um foguete e ao menos um morteiro lançados de Gaza atingiram Israel. O Exército israelense respondeu com três bombardeios, um dos quais feriu um atirador do Hamas em um campo de treinamento no centro da cidade de Gaza.

 

"Nós estamos comprometidos a restringir os ataques desde que não haja opressão e agressões", afirmou Zahar.

 

Um porta-voz do Ministério de Relações Exteriores de Israel disse que as intenções declaradas de Zahar serão testadas no campo de batalha. "O Hamas causou essa situação, e pode desfazê-la simplesmente parando de lançar foguetes", declarou Yigal Palmor.

 

Militantes palestinos atiraram 26 foguetes e morteiros em território israelense nesta semana, incluindo um que explodiu próximo a um jardim de infância, deixando uma criança ferida.

 

Em represália, Israel realizou um ataque aéreo que atingiu cinco militantes e matou um pastor próximo a fronteira com Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelHamasfoguetebombardeioGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.