Líder do Irã diz que um dia pode retomar relações com os EUA

O líder supremo do Irã deixou claro naquinta-feira que ainda não chegou o momento de retomar asrelações com os Estados Unidos, arquiinimigos do país islâmico,mas indicou que isso pode acontecer um dia. "A não-manutenção de relações com os EUA é uma de nossasprincipais políticas, mas nunca dissemos que essas relações têmde ficar rompidas para sempre", disse o aiatolá Ali Khamenei nacidade de Yazd, segundo a TV estatal. "Estabelecer essas relações agora seria prejudicial paranós", afirmou. "Certamente, no dia em que manter relações comos EUA for útil para a nação serei o primeiro a aprovar orelacionamento." Os EUA romperam relações com Teerã pouco depois daRevolução Islâmica de 1979. Os dois países são grandes rivais,em especial por causa da discussão sobre as ambições nuclearesdo Irã e a influência do país na violência do Iraque. Khamenei também rejeitou a sugestão de Washington e Moscoude que o Irã pare de enriquecer urânio, já que a Rússia começoua fornecer combustível para a primeira usina nuclear do Irã, emBushehr. "É como pedir a um país com enormes reservas depetróleo que supra suas necessidades de petróleo no exterior." O urânio enriquecido pode ser usado como combustível parausinas nucleares mas também, se ainda mais refinado, em bombasatômicas. O Ocidente desconfia que o Irã queira desenvolver armasatômicas. O país diz que seu programa nuclear é pacífico e sóvisa a gerar eletricidade. (Reportagem de Zahra Hosseinian)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.