Líder do principal grupo de oposição da Síria justifica renúncia

O presidente do agrupamento rebelde Coalizão Nacional Síria, que combate o presidente sírio, Bashar al-Assad, disse nesta segunda-feira que o fracasso do mundo em apoiar a revolta era o principal motivo de ele ter oferecido sua renúncia.

Reuters

25 de março de 2013 | 19h36

Moaz Alkhatib foi nomeado chefe da coalizão em novembro, depois que a diplomacia do Golfo e do Ocidente quiseram a oposição mais unida. Sua renúncia no domingo ameaçava desfazer a maior parte do trabalho de dar influência internacional à revolta armada de dois anos.

Alkhatib disse, em declarações transmitidas pela TV al-Jazeera, que suas opiniões sobre a necessidade de reestruturar e ampliar a coalizão tinham desempenhado uma pequena parte em sua decisão de deixar o cargo.

"O maior motivo é um protesto contra a posição dos Estados mundiais, que apenas estão tentando conseguir aprovar seus desejos, aspirações ou maneiras de solucionar a crise (síria) sem sentirem a dor que as pessoas sofrem todos os dias", ele disse, sem entrar em detalhes.

Alkhatib, um ex-imã da Mesquita Umayyad de Damasco, voou até o Catar na noite desta segunda-feira para fazer um discurso em uma cúpula árabe.

Não estava imediatamente claro se a decisão de Alkhatib de participar da conferência era sinal de que ele estava voltando atrás de sua renúncia.

Facções militares e civis moderadas em sua cidade natal Damasco pediram nesta segunda-feira que ele reconsiderasse sua decisão de sair.

(Reportagem de Ahmed Tolba e Tom Perry)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAALKHATIB*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.