Líder máximo da Al-Qaeda no Iraque é preso

Abu Omar al-Baghdadi é o sucessor de al-Zarqawi, morto em um bombardeio americano em 2006

Agências internacionais,

23 de abril de 2009 | 10h10

O líder máximo da Al-Qaeda no Iraque, Abu Omar al-Baghdadi, foi detido nesta quinta-feira, 23, em Bagdá, informou o canal iraquiano de televisão oficial Al-Iraqia, citando como fonte o general Qasem Atta, porta-voz do centro de operações do Exército em Bagdá. A ação pode representar um marco significativo contra insurgentes sunitas quando eles intensificam seus ataques.

 

Baghdadi tem o título de "amir" (príncipe) do Estado Islâmico do Iraque, organização da qual fazem parte oito grupos insurgentes iraquianos e que está diretamente vinculada à organização terrorista internacional dirigida por Osama bin Laden. Abu Omar al-Baghdadi sucedeu à frente da Al-Qaeda no Iraque o jordaniano Abu Musab al-Zarqawi, após sua morte em um bombardeio aéreo americano em 8 de junho de 2006, em uma aldeia situada ao nordeste de Bagdá.

 

Baghdadi tem sido um alvo importante para forças norte-americanas e iraquianas como líder do Estado Islâmico do Iraque, um grupo que abrange facções militantes sunitas que, acredita-se, seja dominado pela Al-Qaeda no Iraque. Mas suas origens ou influência sobre grupos insurgentes são pouco conhecidas. Esses grupos têm realizado uma série de ataques nas últimas semanas, dentre eles, aparentemente, os dois atentados suicidas realizados nesta quinta-feira em Bagdá e ao norte da capital, na Província de Diyala.

 

A televisão estatal iraquiana citou o porta-voz militar Qassim al-Moussawi dizendo que Baghdadi foi detido em Bagdá. Funcionários de segurança também disseram à Associated Press que ele foi capturado. Eles falaram em condição de anonimato. Não há mais detalhes sobre a prisão. No passado, funcionários iraquianos anunciaram a detenção de importantes militantes que, mais tarde, mostraram-se erradas.

 

A detenção do líder da Al Qaeda no Iraque ocorre um dia depois que o braço direito de Baghdadi, Abu Hamza al-Muhajer, divulgou uma gravação pedindo que as milícias governamentais do Iraque se unam à luta das organizações insurgentes. Na gravação, que foi divulgada em fóruns islâmicos na internet, Muhajer qualificou os milicianos dos Conselhos de Salvação de "traidores e criminosos". "Já é hora de voltarem ao caminho certo, porque só queremos o paraíso e o céu para vocês", disse o "número dois" da Al-Qaeda no Iraque.

 

Além disso, Muhajer pediu aos membros dessas milícias governamentais, criadas em outubro de 2006 com o apoio das tropas americanas e do governo iraquiano para lutar contra Al-Qaeda, que se arrependam após reconhecer seus erros. O grupo dirigido até hoje por Baghdadi foi criado em outubro de 2006 para lutar contra a ocupação militar americana no Iraque, que começou em 2003, e com o objetivo final de criar um Estado islâmico no Iraque dirigido por um califa.

 

Matéria atualizada às 12h20.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.