Líder rebelde líbio diz que entrega de armas encurtará guerra

O envio de armas aos rebeldes líbios que buscam derrubar Muammar Gaddafi pode ajudar a acelerar o fim da guerra civil, disse o chefe dos rebeldes nesta quinta-feira.

REUTERS

30 de junho de 2011 | 16h38

Questionado sobre a entrega de armas da França para suas forças, Mahmoud Jibril disse em entrevista coletiva em Viena que as armas podem ajudar a evitar mortes.

"Dando armas a eles, vamos ser capazes de decidir a batalha mais rapidamente, então podemos derramar a menor quantidade de sangue possível. Porque quanto menos sangue derrubarmos, mais poderemos pensar no futuro e mais poderemos proteger o povo líbio."

A França se tornou na quarta-feira o primeiro país da Otan a reconhecer abertamente que está armando os rebeldes.

Citando fontes não identificadas, o jornal francês Le Figaro disse que a França jogou de paraquedas rifles de assalto, metralhadoras e mísseis anti-tanques nas Montanhas Ocidentais da Líbia no começo do mês.

A França defendeu sua decisão de armar os rebeldes líbios, afirmando que ela não viola um embargo de armas imposto pela Organização das Nações Unidas, pois elas são necessárias para defender civis sob ameaça.

(Reportagem de Michael Shields)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAREBELDESARMAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.