Líderes afegãos ratificam apoio a McChrystal

Para Karzai, general é peça importante na guerra do país contra o terrorismo

AP

23 de junho de 2010 | 09h15

CABUL - Autoridades afegãs disseram nesta quarta-feira, 23, que demitir o general Stanley McChrystal seria interromper o progresso na guerra e poderia prejudicar uma importante operação de segurança que ocorre contra o nicho do taleban no sul do país.

 

No final de uma vídeo-conferência de uma hora de duração na terça a noite com o presidente Barack Obama, o presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, expressou sua confiança no alto comandante da OTAN no Afeganistão, disse o porta-voz de Karzai, Waheed Omar Said.

 

McChrystal foi convocado por Washington para explicar os disparates publicados na revista Rolling Stone comentados por ele e seus assessores sobre a equipe de segurança nacional de Obama.

 

Enquanto McChrystal, que se encontra nesta quarta com Obama, foi duramente repreendido por seus superiores nos Estados Unidos, oficiais no Afeganistão saíram em seu apoio, dizendo que ele aumentou a cooperação entre afegãos e tropas internacionais, trabalhou para reduzir casualidades civis e ganhou a confiança do povo afegão.

 

"O presidente acredita que nós estamos em uma conjuntura muito sensível na parceria, na guerra contra o terror e no processo de trazer a paz e estabilidade para o Afeganistão, e qualquer buraco neste processo não irá ajudar", disse Omar a repórteres.

 

"Esperamos que não haja uma mudança de liderança nas forças internacionais aqui no Afeganistão e que continuemos a parceria com o general McChrystal".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.