Lieberman quer reinício das obras de assentamentos ao fim da moratória

Paralisação na construção de novas colônias decretada por Israel termina no mês que vem

Efe

25 de agosto de 2010 | 09h50

JERUSALÉM - O ministro de Assuntos Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, disse nesta quarta-feira, 25, que não há nenhuma razão para não retomar a construção nos assentamentos judaicos da Cisjordânia quando acabar a moratória de dez meses em 26 de setembro.

 

Veja também:

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

especial Linha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

 

"Não podemos castigar dezenas de milhares de cidadãos que serviram ao Exército e que vivem em comunidades legais", disse o ministro em entrevista à rádio pública israelense.

 

Em 26 de setembro acaba o congelamento da construção que Israel declarou em novembro como gesto de boa vontade para reiniciar as negociações de paz com os palestinos. Os partidos da direita nacionalista, um dos quais Lieberman é membro, exige que a medida não seja renovada.

 

Após meses de contatos indiretos, o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu viajará em 2 de setembro a Washington para reiniciar as negociações diretas, embora os palestinos já tenham advertido que se a construção tiver continuidade eles deixarão a mesa de negociação.

 

Segundo Lieberman, Israel não deve buscar problemas com os aliados com a construção de mais casas no coração do território palestino, mas não vê razão para não fazê-lo em outras áreas. Na entrevista, o ministro, que vive em uma colônia ao sudeste de Jerusalém, reiterou que estaria disposto a deixar sua casa em caso de um acordo de paz, mas só "em um acordo completo de paz que coloque um fim no conflito".

 

Sobre as próximas negociações, ele manifestou que é "improvável que o processo termine dentro de um ano", como expressou Washington, porque "as diferenças entre as partes são grandes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.