Liga Árabe pedirá reconhecimento pleno de palestinos na ONU

A Liga Árabe pedirá à Organização das Nações Unidas (ONU) que eleve os palestinos ao status de integrante pleno da entidade, de acordo com esboço de comunicado de uma reunião da Liga Árabe obtido pela Reuters nesta quinta-feira.

ALI SAWAFTA, REUTERS

14 de julho de 2011 | 15h55

"Ficou decidido ir às Nações Unidas para pedir o reconhecimento do Estado palestino com Jerusalém Oriental como sua capital e seguir adiante e pedir que seja considerado membro pleno", afirma o texto.

O comunicado não fornece um cronograma indicando se o pedido será feito a tempo da Assembleia Geral da ONU em setembro. Um delegado palestino disse que a Liga Árabe nomeará um comitê para estabelecer datas.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, criticou medidas unilaterais num discurso feito nesta quinta-feira.

"Se (os palestinos) de fato quisessem a paz, eles sentariam para negociar, sem pré-condições. Não há substituto para as negociações. Passos unilaterais não trarão a paz para mais perto e não trarão nenhuma solução", afirmou Netanyahu.

O status de membro pleno exigiria a aprovação do Conselho de Segurança da ONU, onde os Estados Unidos, aliado de Israel, afirmaram que vetariam tal resolução.

Os palestinos, que atualmente têm status de "observador" na ONU, já prometeram anteriormente buscar o endosso da entidade em setembro para seu pedido de soberania na Faixa de Gaza, na Cisjordânia ocupada por Israel e em Jerusalém Oriental. A Liga Árabe apoiou formalmente este plano em maio.

A medida ganhou força com a falta de progresso nas negociações de paz entre israelenses e palestinos.

No entanto, diante da oposição de Israel e de uma série de potências mundiais que dizem que apenas as negociações podem solucionar o conflito, os palestinos indicaram anteriormente que poderiam optar por uma mudança de status mais limitada, para de "Estado não membro", o que exige apenas a aprovação da Assembleia Geral.

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDONULIGAARABE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.