Liga Árabe vê pouca chance de trégua na Síria

O feriado islâmico nesta semana traz pouca esperança de um acordo que leve a um cessar-fogo entre governo e rebeldes na Síria, disse um funcionário graduado da Liga Árabe na segunda-feira.

Reuters

22 de outubro de 2012 | 11h14

Lakhdar Brahimi, enviado especial da ONU e da Liga Árabe para a Síria, vem tentando mediar uma trégua temporária para a festividade islâmica do Eid al Adha, que começa na sexta-feira e dura todo o fim de semana.

Mas Ahmed Ben Hilli, subsecretário-geral da Liga Árabe, disse à Reuters que "até agora a esperança é fraca".

"As indicações agora aparentes e a reação do governo ... não mostram nenhum sinal de um verdadeiro desejo de implementar esse cessar-fogo", afirmou ele no intervalo de uma conferência em Dubai.

"Estamos a poucos dias do Eid. Esperamos que a situação mude, e que o governo e a oposição respondam nem que seja só um pouco a essa porta para as negociações."

Separadamente, o chanceler russo, Sergei Lavrov, pediu ao governo sírio e a todos os grupos da oposição que aceitem a proposta de Brahimi, que qualificou como "um passo necessário rumo a um cessar-fogo de longo prazo e ao lançamento de um processo político destinado a oferecer uma renovação democrática à Síria".

Assim como faz o governo de Bashar al-Assad, sua aliada Rússia culpa principalmente os rebeldes pela violência na Síria.

(Reportagem de Amena Bakr, em Dubai, e Steve Gutterman, em Moscou)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIATREGUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.