Livni pede que o mundo culpe Hamas por ataques

Ministra das Relações Exteriores de Israel peda apoio à comunidade internacional

Agência Estado

28 de dezembro de 2008 | 15h47

A ministra das Relações Exteriores de Israel, Tzipi Livni, exortou a comunidade internacional a responsabilizar o Movimento Islâmico de Resistência Hamas pela ofensiva militar israelense contra o território palestino de Gaza.   Veja também: Israel aprova convocação de reservistas para ofensiva em Gaza Abbas: ataques podiam ser evitados; Olmert promete 'firmeza' Ministros árabes se reúnem na 4ª para discutir ataques a Gaza ONU pede cessar fogo imediato de Israel na Faixa de Gaza Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos Ofensiva israelense deve sepultar esforço de paz Hamas pede nova Intifada contra Israel após ataques Itamaraty condena 'reação desproporcional' de Israel Veja imagens de Gaza após os ataques       "Eu espero que a comunidade internacional, inclusive todo o mundo árabe, envie uma mensagem clara ao Hamas: 'A culpa é sua. A responsabilidade é sua. São vocês que estão sendo condenados. Vocês não vão obter legitimidade da comunidade internacional dessa maneira. A responsabilidade pelas vidas dos civis em Gaza está em suas mãos'", disse Livni durante entrevista ao programa Meet the Press ("encontre a imprensa"), da rede norte-americana de televisão NBC.   A ministra disse que conversou no sábado à noite com a secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, e que vem mantendo contato com líderes norte-americanos. Gordon Johndroe, um dos porta-vozes da Casa Branca, disse sobre o Hamas que "essa gente não passa de bandidos, e, por isso, Israel vai defender seu povo contra terroristas como o Hamas".   Em contraste, a ONU, a União Européia e a Rússia exortaram Israel a suspender imediatamente suas operações militares na Faixa de Gaza, onde cerca de 290 pessoas foram mortas em ataques israelenses em apenas 48 horas.

Tudo o que sabemos sobre:
livnihamasisraelpalestinagaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.