Lula visita Chávez após aprovação de referendo por reeleição

Presidente venezuelano muda visita para local perto de obra da Odebrecht e financiada pelo BNDES

Rosana de Cássia, Agência Estado

16 de janeiro de 2009 | 11h37

Os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Hugo Chávez se reúnem nesta sexta-feira, 16, na Venezuela. O sétimo encontro trimestral entre os dois presidentes seria inicialmente em Maracaibo, mas foi transferido, de última hora, por Chávez, para El Diluvio, onde está em execução um projeto de irrigação de US$ 1,2 bilhão que é tocado pela empreiteira Odebrecht, com financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A visita do presidente brasileiro ocorre um dia depois de a Assembleia Nacional aprovar o referendo que daria ao presidente venezuelano, governadores e prefeitos a possibilidade de reeleições por tempo indefinido. A Odebrecht é campeã de licitações do governo venezuelano,mas teve sua imagem prejudicada no semestre passado por acusações do governo do Equador, por conta de obras executadas naquele país. Na pauta do encontro estão iniciativas para dar um novo impulso à cooperação bilateral em andamento nas áreas habitacional, bancária, agrícola e industrial, além da parceria no setor energético e de integração fronteiriça. No encontro, haverá a assinatura de atos e almoço. O presidente retornará ao Brasil no final da tarde. A chegada a Brasília está prevista para as 21 horas.  Lula chegou na madrugada de quinta para sexta-feira à Base Aérea Geral Rafael Urdaneta, procedente da Bolívia, e foi recebido pelo chanceler venezuelano, Nicolás Maduro. O presidente não falou com a imprensa, embora Maduro tenha dado a Lula um telefone celular para que ele falasse com Chávez. No encontro, que aconteceria originalmente em Caracas, os dois governantes repassarão as relações comerciais e tratarão de temas da atualidade, como costumam fazer nas reuniões trimestrais que começaram a ser realizadas em 2007, de modo a impulsionar a cooperação bilateral. Na agenda, segundo fontes brasileiras, está a associação de ambos os países no setor energético, no qual se destaca a construção de uma refinaria binacional em Pernambuco. Além disso, devem ser discutidas questões como a integração fronteiriça, e ambos os dirigentes examinarão assuntos regionais e internacionais, como a integração plena da Venezuela ao Mercosul, que está pendente da aprovação nos Parlamentos de Brasil e Paraguai. Ao anunciar há poucos dias as visitas à Venezuela de Lula e da presidente da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, que estará em Caracas na próxima semana, Chávez disse que esses encontros são uma prova de que "segue em andamento o processo de unidade da América Latina". (Com Efe)

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaBrasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.