Maioria dos portos da Líbia é capaz de operar, apesar da violência

TRÍPOLI - A maioria dos portos na Líbia ainda é capaz de operar, apesar da presença de governos rivais no país, do caos econômico e da crescente violência entre grupos armados, disse um representante da indústria naval nesta segunda-feira.

O Estado de S. Paulo

08 de junho de 2015 | 20h28

A Líbia tem sofrido com uma disputa entre forças que apoiam o governo internacionalmente reconhecido, sediado no leste do país, e uma administração rival que tomou Trípoli, à medida que ex-rebeldes que ajudaram a tirar Muammar Kadafi do poder em 2011 entraram em desacordos políticos, regionais e tribais.

Forças Armadas leais ao governo do primeiro-ministro Abdullah al-Thinni, reconhecido internacionalmente, têm combatido grupos islâmicos em Benghazi.

"Os principais portos estão todos operando, exceto em Benghazi, por enquanto, e Derna", disse o gerente-geral da agência de frete marítimo Roban Global Maritime, Asem Baruni, com sede em Trípoli. "Não há problema de força de trabalho."

Baruni disse que as companhias tinham de trabalhar com autoridades portuárias diferentes em áreas controladas pelos dois governos."Estamos lidando com as autoridades dentro do porto", disse ele. "De alguma forma está funcionando."

O enviado especial das Nações Unidas, Bernardino Leon, que vem tentando acabar com a disputa pelo poder entre os governos rivais, disse anteriormente que a Líbia está à beira do colapso econômico e financeiro. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
LÍBIAPORTOSDISPUTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.