Mais de 7 mil iranianos vão concorrer às eleições parlamentares

Cerca de 7.200 pessoas se registrarampara concorrer às eleições parlamentares no Irã em março,quando oponentes reformistas do presidente Mahmoud Ahmdinejadesperam se beneficiar da crescente insatisfação com o líderlinha dura. As eleições do dia 14 de março podem ser um duro teste paraos reformistas que buscam um retorno após a derrota para osconservadores nas eleições legislativas de 2004 por falharem emcumprir suas promessas de criar um país mais livre. Eles também esperam que o Conselho Guardião, que vetacandidatos para todas as eleições, vete a maioria de seuscandidatos como fez no passado. Os conservadores estão brigando para mostrar uma frenteunificada apesar de controlar as Forças Armadas, o Judiciário,poderosos corpos de vigilância, Parlamento e Presidência. Os conservadores já falharam em propor uma lista conjuntade candidatos, e a falta de uma voz unificada pode custar aseleições, como nas derrotas dos pleitos municipais e deconselhos locais no ano passado. Analistas disseram que reformistas possuem mais chances doque nas eleições anteriores pois muitos iranianos criticamAhmadinejad por ter falhado em entregar as mudanças econômicasprometidas, incluindo compartilhar de forma mais igualitária ariqueza do petróleo. O ministro do Interior, Mostafa Pourmohammadi, disse nestesábado que 7.200 pessoas -- incluindo 590 mulheres -- seregistraram para concorrer às eleições das 290 cadeiras noParlamento. Mais de 43,2 milhões de pessoas estão aptas a votar no Irã,onde a população ultrapassa 70 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.