Mais um diplomata iraniano pedirá asilo à Noruega

Um diplomata da embaixada iraniana na Bélgica disse nesta terça-feira que vai pedir asilo à Noruega, unindo-se a um pequeno movimento de funcionários do serviço externo de relações exteriores do Irã que abandonaram seus postos em protesto, alegando violações de direitos humanos e fraude eleitoral em seu país.

WALTER GIBBS, REUTERS

14 de setembro de 2010 | 11h11

Farzad Farhangian, de 47 anos, pediu a deposição do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad, durante uma entrevista à imprensa na qual estava acompanhado por um ex-cônsul iraniano na Noruega, que renunciou a seu cargo em janeiro.

"Considerando os recentes acontecimentos no Irã, sim, quero que esse governo seja deposto", disse Farhangian, que declarou ser um vice-cônsul em Bruxelas, responsável pelos contatos com a imprensa.

Ele acrescentou que estava participando de um grupo chamado "Embaixada Verde", formado por diplomatas iranianos exilados, incluindo Mohammad Reza Heydari, um ex-cônsul na Noruega, que atualmente vive em Oslo.

As embaixadas do Irã na Noruega e na Bélgica não estavam atendendo aos telefonemas.

Farhangian disse que deixou seu posto em Bruxelas na semana passada, depois de um ano de conflitos com o embaixador sobre a suposta fraude na eleição presidencial iraniana de 2009 e a subsequente repressão a manifestações da oposição no Irã.

Tudo o que sabemos sobre:
IRADIPLOMATAASILO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.