Maliki: Não deixaremos que Irã seja atacado

O Irã deve assinar com os EUA para regularizar a presença militar americana no país vizinho

EFE,

08 de junho de 2008 | 05h30

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, assegurou às autoridades iranianas que Bagdá não permitirá que o país dos aiatolás seja atacado a partir de seu território, informam, neste domingo, os meios de comunicação iranianos. Maliki, que está desde sábado em visita oficial ao Irã, fez esta afirmação durante uma reunião no Teerã com o ministro iraniano de Assuntos Exteriores, Manouchehr Mottaki, cujo país se opõe à presença militar americana no Iraque. O Irã mostrou uma preocupação especial com o acordo que Bagdá deve assinar com os EUA para regularizar a presença militar americana no país vizinho após expirar o mandato da ONU no Iraque, no final de 2008. Além disso, os iranianos acusam as "tropas de ocupação no Iraque" de apoiar grupos opositores iranianos ativos contra o regime islâmico de Teerã. "Não permitiremos que o Iraque se transforme em um lugar para prejudicar a segurança do Irã", disse o chefe do Governo iraquiano, que também se reuniu ontem à noite com o vice-primeiro-ministro iraniano, Pervez Davudi. "Todos os grupos iraquianos estão a favor da promoção das relações com o Irã", acrescentou, segundo a televisão "Alalam".

Mais conteúdo sobre:
IRÃ

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.