Maliki ordena fim de detenções para que rebeldes se rendam

Premiê iraquiano faz novo apelo para que militantes xiitas do Exército Mahdi deponham armas antes do prazo

Efe,

04 de abril de 2008 | 07h37

O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Maliki, ordenou nesta sexta-feira, 4, pela terceira vez em menos de duas semanas, que cessem as detenções e revistas de suspeitos "para dar-lhes a oportunidade que se rendam e entreguem as armas", informou a televisão pública.   Veja também: Atentado mata pelo menos 15 em funeral no Iraque   "O primeiro-ministro ordenou que parem as batidas e perseguições em todo o país para dar aos arrependidos uma nova oportunidade", disse um comunicado oficial. "Quem responder positivamente será garantida sua segurança, mas quem voltar a pegar em armas será castigado", diz o comunicado.   Na última sexta-feira, Maliki estendeu para o dia 8 de abril o prazo dado aos rebeldes de Basra (550 quilômetros ao sul de Bagdá) para entregar suas armas de calibre médio e pesado em troca de uma compensação financeira.   Não foi anunciada nenhuma informação sobre o sucesso desta iniciativa, mas as milícias xiitas, e em particular as do Exército Mahdi, continuaram ativas na cidade, e isso apesar do apelo de seu próprio chefe, o clérigo Moqtada al-Sadr, para que parem as operações armadas.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueExército Mahdi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.