Manifestações celebram o Ano Novo curdo na Turquia

Cerca de 200 mil pessoas compareceram às celebrações, que pedem a autonomia política e cultural dos curdos

Efe,

21 de março de 2008 | 15h27

Cerca de 200 mil pessoas celebraram nesta sexta-feira, 21, o Newroz, Ano Novo curdo, no sudeste da Turquia. A data é tradicionalmente usada pelos ativistas curdos para fomentar o sentimento contra o governo turco e pedir autonomia política e cultural.   As manifestações na província de Diyarbakir foram organizadas pelo pró-curdo Partido da Sociedade Democrática (DTP), que enfrenta um processo de proibição no Tribunal Constitucional. O partido esperava reunir um milhão de pessoas, mas, segundo a imprensa local, as festas tiveram a participação de aproximadamente 200 mil pessoas.   Durante as celebrações, os curdos também cantaram canções pela paz e pela liberdade do líder do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Abdullah Ocalan.   Não há informações de enfrentamentos, com exceção de alguns incidentes menores, nos quais agentes policiais foram atacados com pedras. O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, disse que aqueles que apedrejavam as forças de segurança ou incendiavam objetos não estavam festejando o Newroz, mas atacando a estabilidade do país.   No dia 21 de março é celebrado em muitos países da Ásia Central, do Oriente Médio e na Turquia o início da primavera e o despertar da natureza, mas os curdos turcos costumam festejar como um dia de resistência e rebelião contra o Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
Ano Novo curdo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.