Manifestantes invadem embaixada britânica em Teerã

Manifestantes iranianos invadiram a embaixada da Grã-Bretanha no centro de Teerã nesta terça-feira, quebraram vidros e queimaram a bandeira britânica durante um protesto contra novas sanções impostas pelo país ao Irã, segundo imagens mostradas ao vivo pela TV iraniana.

REUTERS

29 de novembro de 2011 | 12h05

Dezenas de manifestantes entre centenas que protestavam contra a Grã-Bretanha escalaram os muros da embaixada e entraram no local. Alguns lançaram bombas incendiárias e um deles agitava um quadro com a foto da rainha Elizabeth 2a, aparentemente encontrado no local, segundo as imagens mostradas pela Press TV.

A agência semioficial de notícias Mehr disse que a bandeira britânica foi arrancada e queimada, sendo depois substituída pela iraniana.

O ministério britânico de Relações Exteriores informou estar "ultrajado" com os acontecimentos em Teerã. Não ficou claro se diplomatas do país estavam no local nem se foram machucados. Segundo a agência Mehr, o pessoal da embaixada deixou o prédio por uma porta traseira.

De acordo com uma outra agência iraniana, a Irna, um outro grupo de manifestantes invadiu uma segunda representação diplomática britânica, no norte da cidade, e se apropriou de "documentos sigilosos".

A emissora iraniana Irib informou que a polícia estava tentando retirar cerca de 100 manifestantes de dentro da embaixada britânica em Teerã.

Os protestos e a invasão ocorrem uma semana depois de o governo britânico impor nova rodada de sanções ao Irã por causa do programa nuclear do país.

Como parte da nova onda de sanções do Ocidente, a Grã-Bretanha proibiu todas as instituições financeiras britânicas de fazer negócios com as iranianas, incluindo o Banco Central do Irã.

Em resposta, na segunda-feira o Conselho dos Guardiães - instância máxima de poder no país, que é uma República Islâmica - aprovou uma lei rebaixando os laços entre o Irã e a Grã-Bretanha, um dia depois de o Parlamento iraniano endossar uma resolução compelindo o governo a expulsar o embaixador britânico, em retaliação contra as sanções.

Na sessão parlamentar de domingo em Teerã, um deputado alertou que os iranianos irritados com as sanções poderiam atacar a embaixada britânica, como fizeram com a dos Estados Unidos em 1979.

Em Londres,o secretário britânico de Relações Exteriores, William Hague, afirmou durante um debate no Parlamento esperar que outros países sigam a Grã-Bretanha e imponham sanções financeiras ao Irã. Ele fez as declarações enquanto ainda surgiam as notícias do ataque à embaixada ao Irã, sobre o qual não fez comentários. Autoridades britânicas disseram que estavam averiguando os fatos.

Hague afirmou ainda que o governo adotará "ação robusta" se O Irã rebaixar suas relações diplomáticas.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAEMBAIXADABRITANICAATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.