Marrocos instala hospital de campanha em Gaza para atender vítimas de protestos

Pelo menos 116 palestinos morreram por disparos dos soldados israelenses e mais de 3.000 ficaram feridos à bala durante os protestos que acontecem desde o dia 30 de março

EFE

28 Maio 2018 | 01h06

RABAT - O rei Mohammed VI do Marrocos ordenou nesta segunda-feira, 28, às Forças Armadas Reais (FAR) instalar um hospital de campanha na Faixa de Gaza, na Palestina, para atender centenas de feridos nos últimos confrontos com o Exército de Israel.

Um comunicado do Ministério de Exteriores marroquino detalhou que esta instalação, com capacidade de realizar cirurgias, pretende proporcionar atendimento médico aos "feridos civis" nos últimos protestos e atos violentos em Gaza.

+++ Israel ataca posições do Hamas no sul de Gaza após infiltração

Pelo menos 116 palestinos morreram por disparos dos soldados israelenses e mais de 3.000 ficaram feridos à bala durante os protestos que acontecem desde o dia 30 de março perto da cerca fronteiriça entre Gaza e Israel.

"Esta ação (do rei Mohammed VI) está em linha com os compromissos históricos e sempre renovados do soberano com a causa palestina", indicou a nota de Exteriores marroquina.

No dia 16 deste mês, o Governo do Marrocos condenou o "uso excessivo da força por parte do Exército israelense contra as manifestações pacíficas em Gaza". /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.