Meninas em escola afegã podem ter sido envenenadas por gás

Até 74 alunas no extremo norte do Afeganistão adoeceram após respirar um gás, e foram examinadas para avaliar um possível envenenamento, disseram autoridades locais neste domingo.

Reuters

21 de abril de 2013 | 15h54

Ao mesmo tempo em que muitos casos de envenenamento são na verdade alarmes falsos, há numerosos casos comprovados de intoxicação em massa de alunas por setores da sociedade ultra-conservadora do Afeganistão, que se opõem à educação feminina.

Autoridades locais informaram que as meninas adoeceram após inalarem um gás na escola Bibi Maryam na capital da província de Takhar, Taluqan. A cidade fica a cerca de 250 quilômetros ao norte da capital do país, Cabul.

O porta-voz do governo de Takhar, Sulaiman Moradi, culpou "inimigos do governo e do país" pela enfermidade em massa, e disse que o objetivo era impedir que as meninas frequentem a escola.

As meninas foram levadas ao hospital da província e a maior parte foi liberada após receber tratamento, embora várias permanecessem em condições críticas na noite do domingo, disse o diretor do hospital, Jamil Frotan.

(Reportagem de Folad Hamdard)

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOESCOLAGAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.