Menor palestino vai a julgamento em Israel por atirar pedras

Um adolescente de 14 anos com dupla nacionalidade norte-americana e palestina compareceu nesta quinta-feira diante de um tribunal militar de Israel acusado de atirar pedras contra carros israelenses na Cisjordânia ocupada.

Reuters

11 de abril de 2013 | 21h57

O caso chamou a atenção sobre as centenas de menores palestinos detidos por militares israelenses por jogarem pedras. Grupos de direitos humanos condenaram esse tipo de detenção.

O Exército de Israel disse que a idade dos presos é irrelevante quando se considera que o apedrejamento pode colocar uma vida em risco.

Mohammed Khalak, que apareceu com seus tornozelos acorrentados, foi acusado junto a outros jovens de apedrejar militares israelenses e veículos de colonos fora do povoado de Silwad.

A audiência foi rapidamente suspensa até a próxima semana e o pai de Khalak acusou os Estados Unidos de não fazerem o suficiente para ajudar o seu filho.

"O governo dos Estados Unidos é obrigado a fazer algo por nós, mas nem sequer se importa. Perderam o tema em algum lugar do bolso de trás", disse Abdulwahab Khalak, acrescentando que as autoridades consulares haviam visitado o jovem, mas não prometeram ajuda alguma.

O consulado dos Estados Unidos em Jerusalém se negou a comentar, alegando leis de privacidade. Um porta-voz do Departamento de Estado em Washington disse na quarta-feira que desconhecia o caso.

(Reportagem de Noah Browning)

Tudo o que sabemos sobre:
ISRAELPALESTINOJOVEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.