Milhares de palestinos fogem de Rafah durante bombardeios

Exército israelense lançou panfletos pedindo que moradores deixem cidade localizada no sul de Gaza

Efe,

07 de janeiro de 2009 | 20h42

Milhares de palestinos fugiram nesta quarta-feira, 7, da localidade de Rafah, no sul da Faixa de Gaza, em razão dos bombardeios de Israel na região. Um dos moradores de Rafah relatou que aviões israelenses lançaram esta tarde centenas de panfletos nos quais pediam à população que abandonasse suas casas em razão do risco de ser bombardeados.   Após as 20h locais (16h de Brasília), os aviões começaram um bombardeio pesado na região, na altura da "Rota Filadélfia", a fronteira entre Gaza e Egito. A televisão israelense informou que, após mais de quatro horas, o bombardeio continuava, e seu objetivo era destruir os túneis pelos quais o movimento islâmico Hamas tem contrabandeado armas para seus homens. Segundo testemunhas, dezenas de famílias deixaram suas casas e pertences e seguiram rumo ao norte do território em busca de refúgio, sem saber se poderão voltar.   Veja também: Israel ordena retirada de civis e bombardeia o sul de Gaza Gabinete israelense aprova ampliação de ofensiva em Gaza Ataques mataram 205 crianças, dizem palestinos  França provoca confusão ao anunciar cessar-fogo  Trégua por 3h é piada, diz ex-relator da ONU brasileiro  Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Brasileiros que vivem em Gaza não querem sair  Brasileiros que vivem na região falam sobre o conflito  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques        Fontes de segurança em Gaza explicaram que os aviões israelenses destruíram 26 casas que consideram como abrigo de entradas de túneis, e que tratores demoliram outras dezenas em toda a região.   Ghazi Hamad, ex-porta-voz do Hamas e residente em Rafah, denunciou que Israel está destruindo casas de civis que não têm ligação com o movimento. "Os foguetes israelenses estão destruindo casas da população, estão transformando a região em um campo de testes para todos os tipos de mísseis ar-terra", declarou.   Os bombardeios israelenses acontecem em paralelo a uma iniciativa de França e Egito de declarar um cessar-fogo, que parece ter recebido o apoio tanto em Israel como no movimento islamita. A operação israelense, que começou em 27 de dezembro, já matou mais de 700 palestinos e feriu outros 2,9 mil, enquanto em Israel nove pessoas morreram e dezenas ficaram feridas por fogo das milícias palestinas.  

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsraelGaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.