Miliciano palestino morre em bombardeio aéreo israelense

Ataque no norte da Faixa de Gaza ocorreu 1 dia depois de terminar a trégua de seis meses entre Israel e Hamas

Efe,

20 de dezembro de 2008 | 11h28

Um miliciano das Brigadas dos Mártires de Al-Aqsa, o braço armado do Fatah, morreu e outros dois ficaram feridos em um bombardeio aéreo israelense na cidade de Beit Lahia, no norte da Faixa de Gaza, neste sábado, 20, informaram testemunhas e fontes médicas palestinas. O alvo do ataque era "uma célula de palestinos que se preparava para lançar foguetes Qassam contra o sul de Israel", disse um porta-voz militar israelense. A vítima fatal foi identificada como Ali Heyazi, de 25 anos. Um dos dois feridos se encontra em estado grave, disseram fontes médicas de Gaza. O bombardeio ocorre um dia depois de terminar a trégua de seis meses entre Israel e Hamas, atingida em junho com mediação egípcia e que só se estendia a Gaza. Na quinta-feira, as milícias palestinas decidiram por unanimidade não renovar o cessar-fogo, ao considerar que Israel estava descumprindo sua parte do trato. Durante a interrupção de hostilidades, as milícias palestinas se comprometeram a parar de lançar foguetes e bombas contra as localidades vizinhas em Israel, que devia suspender seus ataques a Gaza e suspender progressivamente o bloqueio a esse território. Durante os quatro primeiros meses, as duas partes evitaram os confrontos, mas Israel quase não amenizou o cerco a Gaza. No entanto, no início de novembro, uma operação militar israelense para destruir um túnel que teria sido cavado por milicianos com o objetivo de capturar soldados, incursão que matou seis membros do Hamas, marcou um ponto de inflexão. Desde então, os grupos armados palestinos dispararam mais de 200 foguetes e bombas contra território isralense, mas sem causar vítimas. Israel retomou os ataques, que causaram a morte de cerca de 20 palestinos - na maioria milicianos -, e manteve fechadas a maior parte do tempo as passagens fronteiriças. Hoje, encerrada a trégua, aviões não-tripulados israelenses sobrevoam o norte e o sul da Faixa de Gaza à procura de possíveis alvos, pois Israel retomou esta semana os bombardeios aéreos.

Tudo o que sabemos sobre:
Faixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.