Militante suicida mata ao menos 28 em Bagdá

Um homem-bomba usando um colete repleto de explosivos matou ao menos 28 pessoas e feriu 50 ao aproximar-se de um grupo de policiais que distribuía suprimentos em Bagdá na quinta-feira, disse a polícia iraquiana.

REUTERS

23 de abril de 2009 | 08h44

A polícia estava ajudando a distribuir ajuda a iraquianos que foram obrigados a deixar suas casas durante a violência sectária e à insurgência causadas pela invasão liderada pelos EUA em 2003.

Pelo menos cinco crianças estão entre os mortos, disse a polícia.

A violência através do Iraque diminuiu drasticamente no último ano, mas grupos insurgentes como a Al Qaeda ainda promovem ataques frequentes. Militantes suicidas estão geralmente associados à Al Qaeda.

Um outro homem-bomba matou pelo menos cinco pessoas e feriu 15 em uma mesquita no centro do Iraque na quarta-feira. E, na segunda-feira, um outro militante suicida vestido em uniforme da polícia matou quatro policiais na província de Diyala, norte do país. Oito soldados dos EUA ficaram feridos.

Alguns esperam que a violência aumente com o posicionamento de grupos políticos e armados rivais diante da eleição nacional marcada para o final do ano.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEATAQUEBAGDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.