Militantes atacam e incendeiam centro turístico na cidade de Gaza

Parque havia sido recentemente fechado pelo Hamas por permitir a interação entre homens e mulheres

Efe,

19 de setembro de 2010 | 18h14

 

GAZA- Ao menos 40 militantes atacaram neste domingo, 19, um centro turístico na praia da cidade de Gaza e incendiaram seu restaurante, escritórios e salão de festas, denunciou o diretor-geral, Alladein al-Araj.

 

Araj, ex-ministro e um dos principais investidores da faixa, detalhou em comunicado de imprensa que os milicianos destruíram a porta de entrada antes de amarrar e agredir os guardas que no início da manhã vigiavam o local, denominado "Crazy Water".

 

Os agressores atearam fogo aos escritórios administrativos, ao restaurante e ao prédio de três andares que abriga o salão de festas, apontou Araj, que foi ministro de Economia no breve governo de união nacional dirigido em 2007 pelo então primeiro-ministro palestino, Ismail Haniyeh, do Hamas.

 

"Foi um ataque horrível. Estou surpreso que haja gente fanática que atue para obstruir o desenvolvimento do turismo em Gaza", disse Araj antes de responsabilizar o procurador-geral do governo do Hamas na faixa, que no início do mês ordenou o fechamento do local por três semanas por agrupar homens e mulheres e por servir narguilé a elas, o que o movimento proibiu.

 

Segundo o diretor do Crazy Water, vários donos de centros turísticos pediram ajuda há dois dias a deputados do Hamas, cujo Executivo fechou restaurantes, cafeterias e hotéis em Gaza com o argumento de que violam as normas tradicionais de conduta.

 

Alguns grupos de direitos humanos acusam o Hamas de "islamizar" a faixa por meio das leis e normas que atentam contra os direitos e liberdades individuais.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasGazaparquemilitantepalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.