Militantes do Taliban se suicidam durante cerco no Afeganistão

Cinco militantes do Taliban explodiram asi mesmos em uma casa na capital afegã após 10 horas deconflitos com forças de segurança na quarta-feira, informou umfuncionário do Ministério do Interior. Apesar de o Taliban ter lançado ataques suicidasesporádicos em Cabul, os militantes não foram detectados dentroda cidade que prometeram atacar neste ano em sua luta paraderrubar o governo afegão pró-Ocidente. O conflito acontece dias depois de atiradores do Talibandispararem contra um desfile do Estado, obrigando o presidenteHamid Karzai e importantes membros do governo e das ForçasArmadas a buscarem refúgio. Três pessoas foram mortas no ataquede domingo antes de as tropas matarem três membros do Taliban. Um dos homens que morreu no cerco de quarta-feiraparticipou do ataque à parada, disse um porta-voz do Taliban.Outro militante, uma mulher e a filha dela também morreram noataque contra a casa, disse o porta-voz, de acordo com aagência paquistanesa Afghan Islamic Press. Forças de segurança afegãs cercaram uma casa onde ossuspeitos de serem militantes se escondiam durante a noite. Oconfronto começou em seguida. O som de disparos de armaspequenas foi ouvido ao longo da manhã, conforme agentes desegurança do governo lideravam o Exército e a polícia naoperação contra os atiradores. "Eles foram mortos quando se explodiram na casa. Haviacinco deles", disse à Reuters o funcionário do Ministério doInterior, que pediu para não ser identificado. A polícia tentava descobrir se havia outras fatalidadescausadas pela explosão entre os civis das casas vizinhas,afirmou ele. Dois agentes do serviço de segurança e inteligência doAfeganistão também morreram no confronto, disse um funcionárioda polícia. Os militantes do Taliban deixaram Cabul no fim de 2001 paraescapar dos ataques aéreos liderados pelos Estados Unidos e adas ações por terra de milícias afegãs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.