Militantes fogem e 7 policiais são mortos em delegacia no Iraque

Três influentes militantes islâmicos detidos pelas autoridades iraquianas escaparam da prisão durante uma rebelião ocorrida na madrugada em um posto policial na cidade de Ramadi. Sete policiais e sete militantes foram mortos, informou uma autoridade nesta sexta-feira. A polícia impôs um toque de recolher e vasculhou casas em Ramadi, uma cidade pacata a 100 quilômetros de Bagdá, na manhã seguinte à rebelião na delegacia de al-Fursan, disse o general Tareq Yusuf, comandante policial da província de Anbar. Yusuf disse que os prisioneiros renderam um policial que entrou numa cela às 2h da manhã da sexta-feira, tomando a arma dele e matando-o. Seis outros policial, incluindo um tenente-coronel e um capitão, foram mortos em tiroteios subsequentes e mais seis ficaram feridos, segundo Yusuf. Sete dos prisioneiros foram mortos nos combates, disse. Três líderes do grupo Estado Islâmico no Iraque, ligado à Al Qaeda, escaparam durante a rebelião, informou Yusuf. A província de Anbar, na fronteira com a Síria, a Jordânia e a Arábia Saudita, já foi o coração da insurgência sunita iraquiana. Mas a cidade se tornou mais calma depois que os sunitas locais começaram a apoiar os esforços norte-americanos contra a Al Qaeda e outros grupos, em 2006. Os Estados Unidos entregaram a segurança de Anbar ao governo iraquiano em setembro, mas marines norte-americanos ainda estão lá. Yusuf disse que, na manhã de sexta-feira, a polícia começou a visitar casa por casa, levando fotos dos fugitivos. Ele garantiu que os prisioneiros serão recapturados. "O povo desta cidade vai nos ajudar a trazê-los de volta à Justiça". (Por Ahmad Rasheed)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.