Militantes islâmicos fortalecem seu domínio em Falluja, no Iraque

A Al-Qaeda e outros grupos insurgentes aumentaram seu domínio em Falluja, no Iraque, desafiando os esforços do governo liderado pelos xiitas, de convencer os membros de tribos locais a expulsá-los da cidade, disseram moradores e autoridades.

SUADAD AL-SALHY, Reuters

18 de janeiro de 2014 | 11h01

Apesar do cerco do exército, combatentes e armas tem entrado na cidade, onde tropas americanas lutaram algumas das suas batalhas mais ferozes durante a ocupação do Iraque entre 2003 e 2011.

Falluja e a cidade de Ramadi foram invadidas pelo grupo Estado Islâmico do Iraque e o Levante (ISIL, na sigla em inglês), ligado à Al-Qaeda, com ajuda de tribos aliadas, no dia 1º de janeiro.

O primeiro-ministro iraquiano Nuri al-Maliki, que está buscando um terceiro mandato nas eleições parlamentares em abril, posicionou tropas e tanques em volta da cidade de 300 mil habitantes e enviou armas para lideres tribais anti Al-Qaeda, mas descartou um ataque militar em grande escala.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEMILITANTESFALLUJA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.