Militantes tomam campo de gás iraquiano; presidente pede sessão parlamentar

Militantes assumiram nesta quinta-feira o controle de uma cidade situada a 1 hora de Bagdá e que abriga quatro campos de gás natural, em outro avanço dos insurgentes sunitas que rapidamente se apoderaram de grandes áreas ao norte e a oeste da capital iraquiana.

ISRA E AL-RUBEII E OLIVER HOLMES, REUTERS

26 de junho de 2014 | 07h27

A Presidência do Iraque anunciou que o Parlamento realizará uma sessão em 1º de julho, no primeiro passo para a formação de um novo governo que a comunidade internacional espera seja suficientemente inclusivo para minar a insurgência.

A ofensiva rebelde lançada durante a noite de quarta-feira incluiu Mansouriyat al-Jabal, local onde há campos de gás operados por empresas estrangeiras, disseram fontes do setor de segurança. Os combates ameaçam fragmentar o país, dois anos e meio depois do fim da ocupação norte-americana.

A insurgência é liderada pelo grupo linha-dura Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL), mas também inclui outras organizações muçulmanas sunitas que acusam o primeiro-ministro Nuri al-Maliki de ter marginalizado essa corrente do islamismo em seus oito anos no poder, e se empenhar para continuar no cargo.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEMILITANTESGAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.