Militares confirmam bombardeio israelense em território sírio

Segundo fontes citadas pela CNN, ataque da semana passada tinha como alvo armamentos do Hezbollah

Agências internacionais,

11 de setembro de 2007 | 18h25

Aviões de combate israelenses atacaram alvos em território sírio na semana passada, com o objetivo de neutralizar armamentos que seriam entregues à guerrilha libanesa Hezbollah. A informação foi confirmada nesta terça-feira, 11, por fontes militares americanas citadas pela CNN.  Os primeiros relatos sobre o incidente vieram à tona na última quinta-feira, 6, quando o governo sírio relatou ter atirado contra aeronaves israelenses que sobrevoaram e atacaram o norte do país. À época, as Forças de Defesa de Israel não comentaram as declarações do governo sírio, voltaram a se recusar em comentar as novas revelações nesta terça-feira. Além de confirmarem o ataque, as fontes citadas pela CNN acrescentaram que os aviões teriam contado com o apoio de forças terrestres israelenses, que guiaram o ataque. Segundo um diplomata sírio, no entanto, a informação não é verdadeira. Ainda de acordo com a CNN, o ataque tinha como alvo um carregamento de armamentos do Hezbollah transportado por território sírio, e que teria como origem o Irã. Segundo a fonte ouvida pela rede de TV americana, o transporte de armamentos iranianos por território sírio para o Hezbollah vinha sendo um procedimento comum nos últimos três ou quatro anos - algo que até então não havia sido revidado.  Resposta síria Nesta terça-feira, o embaixador sírio na ONU, Bashar al-Jaafari, informou ter registrado na entidade duas cartas de reclamação contra o suposto "ato hostil" israelense. Uma foi enviada ao secretário-geral e outra ao presidente do Conselho de Segurança.  Segundo o embaixador, as cartas afirmam que o "ato pode resultar em conseqüências" cujos limites são desconhecidos. Ele acrescentou que o governo sírio espera uma declaração do secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, que "responsabilize Israel e demande o cancelamento" de atos desse tipo. Jaafari também contestou a informação de que Israel teria invadido o território sírio por terra. "Isso é mentira", disse ele, acrescentando que o boato teria por objetivo espalhar a idéia de que Israel pode invadir o território sírio quando bem entender "Israel procura uma escalada militar. Nós estamos nos esforçando para não cairmos nesta armadilha. Estamos lidando com o assunto da maneira mais bondosa, precisa e responsável possível." Mensagem Segundo a CNN, as fontes do governo americano que confirmaram o incidente afirmam que os Estados Unidos ficaram satisfeitos com o ataque, uma vez que ele foi capaz de levar uma mensagem tanto para a Síria quanto para o Irã de que ambos podem ser atacados quando necessário. Agora, diplomatas atuam na região para tentar garantir que o incidente não evolua para um conflito aberto. Israel guerreou com a guerrilha do Hezbollah no sul do Líbano no ano passado, depois de uma ação militar em que o grupo armado capturou dois soldados israelenses que continuam presos.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.