Militares sírios matam 4 em aldeias, dizem ativistas

Forças sírias mataram na quarta-feira quatro moradores de aldeias no noroeste do país, disseram ativistas de direitos humanos, apontando uma ampliação da repressão militar contra dissidentes do regime de Bashar al Assad.

REUTERS

13 de julho de 2011 | 18h53

Os militares agiram com apoio de tanques em pelo menos quatro aldeias da região de Jabal al Zawya, perto da fronteira com a Turquia, disseram um ativista local e o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Assad vem tentando coibir os crescentes protestos em zonas rurais e tribais, nos subúrbios da capital e em cidades como Hama e Homs. Detenções em massa e uma intensa mobilização das forças de segurança impedem a realização de manifestações em bairros centrais de Damasco e na cidade comercial de Aleppo.

As incursões militares em cidades e aldeias do noroeste sírio começaram há cinco semanas, após amplas manifestações, e já obrigaram milhares de pessoas a se refugiarem na Turquia.

"Estamos vendo uma escalada militar depois da escalada política do regime", disse por telefone o ativista na província de Idlib, pedindo anonimato por medo de ser preso.

(Por Khaled Yacoub Oweis)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAMILITARESMATAM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.