Minerais descobertos no Afeganistão são para os afegãos, dizem EUA

Departamento de Estado pediu que recursos das reservas sejam aproveitados por toda a população

estadão.com.br,

14 de junho de 2010 | 17h22

WASHINGTON- A diplomacia norte-americana destacou nesta segunda-feira, 14, as dificuldades políticas associadas à descoberta de novos recursos minerais no Afeganistão, e desde já pediu que sua futura extração seja aproveitada igualitariamente pela população do país, segundo a agência de notícias AFP.

 

Veja também:

linkEUA teriam achado riquezas minerais no Afeganistão

 

Transformar essa descoberta natural em renda "levará anos, e a extração mineira enfrenta numerosos desafios, ainda que não insuperáveis", comentou P.J. Crowley, porta-voz do Departamento de Estado norte-americano.

 

O Afeganistão, um dos países mais pobres do mundo, em guerra há três décadas, dispõe de reservas minerais gigantescas, segundo um relatório de geólogos americanos.

 

A localização pouco acessível das minas, a guerra, a fragilidade das estruturas e a ausência de capitais se impõem entre esse potencial - avaliado em US$ 1 bilhão - e sua exploração, disse Crowley.

 

Um dos principais desafios, de acordo com o porta-voz, será o de estabelecer "um plano eficaz que permita que as rendas geradas beneficiem todos os cidadãos afegãos".

 

"Será essencial melhorar a governança para que os recursos não sejam só para o benefício de alguns", advertiu. "Somos muito conscientes de que, no mundo, muitos países gozam de recursos naturais que podem se transformar em fonte de conflito e corrupção", declarou o porta-voz.

 

Desde 2001, os Estados Unidos lideram uma coalizão internacional no Afeganistão com o objetivo de impedir a volta ao poder do Taleban, grupo radical que tem ligações com a rede terrorista Al-Qaeda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.