Ministro das Relações Exteriores da Itália condena ataque a cônsul em Benghazi

O ministro das Relações Exteriores da Itália, Giulio Terzi, condenou neste domingo um ataque contra um cônsul italiano que ficou sob fogo cerrado em seu carro na cidade de Benghazi, no leste da Líbia, descrevendo o incidente como uma nova tentativa de desestabilizar o país.

Reuters

13 de janeiro de 2013 | 12h41

O cônsul Guido De Sanctis saiu ileso do tiroteio no sábado contra seu carro blindado, que aconteceu quatro meses depois que o embaixador norte-americano foi morto em um ataque contra a missão dos Estados Unidos na cidade.

"Essa foi uma tentativa de desestabilizar as instituições da nova Líbia", disse Terzi em um comunicado no domingo.

"A Itália expressa sua mais forte condenação e reafirma seu total apoio ao caminho democrático e às reformas que foram iniciadas pelas autoridades de Trípoli", acrescentou.

Ele não deu indícios de quem poderia estar por trás do ataque.

(Reportagem de Catherine Hornby)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIACONSULITALIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.