Ministro francês diz que há 'otimismo' em relação ao Irã

Segundo diplomata, não mais se falará em sanções ao país islâmico a respeito de seu programa nuclear

Associated Press,

04 de outubro de 2009 | 15h30

O ministro de Exteriores da França. Bernard Kouchner, disse neste domingo, 4, que há uma "tendência média de otimismo" em torno do impasse entre o Irã e as potências mundiais sobre a aplicação de sanções à República Islâmica por conta de seu controvertido programa nuclear.

 

Veja também:

lista Conheça os números do poderio militar do Irã

lista Altos e baixos da relação entre Irã e EUA

especialEspecial: O histórico de tensões do Irã

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

especialEspecial: As armas e ambições das potências

 

Kouchner disse que "algo aconteceu" nas reuniões da última semana entre o Irã e os seis países negociadores - EUA, China, Rússia, Reino Unido, França e Alemanha - a respeito do programa nuclear e que "não se falará mais sobre sanções".

 

Kouchner, respondendo a repórteres em uma entrevista a um canal de televisão, disse que em vez de tratar de possíveis sanções sobre o Irã, o grupo "que falar sobre o coração da questão: é perigoso ou não o enriquecimento de urânio?"

 

O ministro também expressou esperanças para que o novo clima das negociações reflita no caso da francesa Clotilde Reiss, acusada pelo Irã de espionagem. Kouchner espera que as questões envolvendo a francesa, libertada em 16 de agosto para aguardar seu veredicto na embaixada do país em Teerã, também possam ser resolvidas nas negociações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.